Círculo cruel

por Edivar Bedin em 30/04/2010
1 comentárioComments

Nos Jornais de hoje a manchete: Ex-detenta ao obter liberdade condicional, deixa o bebê na prisão – Andrea R. B. F. de O., 30 anos, cumpria pena de cinco anos por roubo. O bebê, de cinco meses, nasceu no presídio. Ela tem mais quatro filhos, longe da família. O pai do bebê cumpre pena no presídio por furto.

As mães, por natureza, literalmente, dão a vida por seus filhos. É o instinto básico que proporcionou a sobrevivência do ser humano como espécie. Ela estava presa por roubo. Significa que agiu com violência ou grave ameaça, para obter coisa alheia para si.
Este é o ponto. Em algum momento, ao ser atacado por uma mulher com essa caracteristica, pode-se esperar um pouco sequer, de misericórdia ou piedade? O roubo por si só, não me canso de repetir, tem três violencias embutidas: violência física (agredir, subjugar, humilhar), material e, o trauma psicológico que dura anos.
Quem comete crime de roubo tem que ser cruel.
O ladrão é reincidente; o crime para ele é como uma droga, vicia.
No presídio os presos tem direito a TV, lazer, comida, roupa lavada, sexo, e agora, a VOTAR.
Conclusão – Ela vai cometer mais roubos, poderá ser presa, vai ter mais filhos, sairá novamente em liberdade e nós? – que se f…nós todos.


Categorias: Geral

Comments

Feed
Trackback URL

  • Roberta Silveira

    >Pois é comandante… O dia das mães chegando e nos deparamos com uma notícia dessas. Estive no presído e também noticiei este fato. Deprimente. Algumas coisas, por piores que sejam elas, ainda é possível tentar compreender. Outras, principalmente quando envolvem crianças indefesas – e este menino tem só 6 meses de vida – não dá pra engolir. Agora como o senhor escreveu, ser é mãe é antes de tudo um instinto humano. O que aconteceu com esta mulher? Isto tudo é muito triste. Que futuro vai ter esta criança e os outros filhos dela?

Deixe seu comentário

Atenção: Seu comentário será publicado assim que aprovado.