Bonnie Tyler e a ESPERANÇA

por Edivar Bedin em 31/12/2011
Seja o primeiro a Comentar!Comments

Pontualmente 02:45 horas, perdi o sono, até que eu tentei, tampouco adiantou exercício de relaxamento, concentração, que nada! Liguei o notebook, coloquei fone de ouvido, procurei na biblioteca de músicas pela Bonnie Tyler, e mandei ela cantar (no modo “repetir”) It’s A Heartache. Pelo menos, deu vontade de escrever. Sobre o assunto não consegui pensar em nada. De acordo com ela, a Bonnie – já estamos íntimos, na trigésima repetição – devo falar de ESPERANÇA.

Logo Esperança… que não é o meu forte,  para fazer jus ao infarto que tive em 2009, certamente, admito: não tenho paciência, para esperar, apenas na esperança. Grande coisa, se pelo menos isso alterasse as coisas que não consigo realizar, tornando-as possíveis. Mesmo aquilo que já fiz e deu certo, de repente fica complicado. Antes foi simples, agora, complicado. E as perguntas, são tantas. O que mudou? o método empregado? os meios? o meio? eu? Mudou tudo, de repente as pessoas não são mais as mesmas, a cidade é diferente; nem o clima é o mesmo. Pior, eu nasci nesse lugar, porque estou me sentindo um estranho nele? Esqueci do passado? se for isso, como o “isso”  foi possível? porque não consigo esquecer do último lugar que estive, mesmo que tenha sido tão pouco tempo. Quatro anos e meio. Para piorar, como ter esperança num país de tantas desigualdades, corrupção, violência e injustiça? Essa pegou, não tem jeito. Liquida com a possibilidade de haver esperança de melhoras, e por isso, 2012 será um ano sem esperança. Pelo jeito não há a menor chance de escrever algo como esperança. 

Vou mudar de assunto, que tal Copa do Mundo? Já que detesto futebol, é um prato cheio. Ricardo Teixeira é chefe de uma máfia que desvia dinheiro, público e privado. Futebol é apenas um negócio que ninguém trabalha, se divertem. Alguns jogam bola e ganham muito. Outros, não jogam bola mas ganham ainda mais, por causa do futebol. Quantos milhões serão gastos, ninguém sabe. Nem querem saber. O povo avestruz, com a bunda pra cima, não tira a cabeça do buraco, nada vê. Como não vê nada, não sabe o que está perdendo ou o que estaria ganhando, se esse dinheiro que envolve o futebol fosse aplicado na educação, saúde, segurança, infraestrutura etc. etc… . Nesta copa estaremos mais vulneráveis do que nunca, em Santa Catarina. Fomos privilegiados com ausência de jogos por uma lado e, prejudicados com a ausência total de recursos que encherão os cofres dos Estados-sede-de-jogos. Tem Estado, bem próximo de Santa Catarina, que receberá tanto recurso, que só em viatura policial, o reforço será de 3.500 unidades. Tem Estado que até acordo com bandido está fazendo para que eles reduzam suas ações e, que migrem temporariamente para outros Estados, onde não tenha jogo da copa, como Santa Catarina. Aqui, temos muito a boa-vontade, utilizamos bem nossos recursos, temos poucos policiais e isso não é culpa do governo, esse está fazendo a sua parte. O certo é que não dará tempo de recompor o efetivo e treiná-lo para a nova situação de enfrentamento de bandidos, que por acordo com seus governos ou não, migrarem para cá, temporariamente. Ao final, como sempre, venceremos e teremos algo muito melhor do que milhões em recursos maculados pela corrupção, teremos tido a oportunidade de evoluir, ficarmos mais fortes e, principalmente, de provar que somos pessoas de bem, garantindo a segurança de pessoas do bem.

É isso, eu confio, eu acredito e espero que dê certo. Isso sim É ESPERANÇA.

Deu sono, boa noite.


Categorias: Geral, Pessoal

Deixe seu comentário

Atenção: Seu comentário será publicado assim que aprovado.