KOAKSIL – Droga que DISSOLVE o CORPO

por Edivar Bedin em 05/07/2011
4 comentáriosComments

Parece enredo de filme. Por uma causa qualquer, cientistas a serviço de um magnata doido, inventam drogas para exterminar a humanidade. A  épica luta do BEM contra o MAL.

Eu não  imaginava que pudesse existir uma droga que dissolvesse  a carne, deixando os ossos aparentes, tampouco, que alguém a usasse. As pessoas e a droga existem.  É como uma linha de produção: Inicia com a MACONHA, COCAÍNA, CRACK, OXI  termina com KOAKSIL. Resultado: ZUMBIS. Pessoas  se decompondo, vivas. Vídeo (links no final) mostra claramente os danos. São imagens fortes, porém, acredito que pior é desconhecer o estrago que a droga faz. Recomendo a leitura TOTAL do texto para saber o início, a evolução, e a compreender o que nos espera no futuro, BEM PRÓXIMO.

Com o surgimento da AIDS o Governo Federal distribuiu um kit com seringas descartáveis e camisinhas, para os viciados, especialmente os de cocaína. O objetivo foi evitar a disseminação da AIDS, não o uso da droga. Sem alardes, pois nem o próprio Governo percebeu, o uso de cocaína injetada havia diminuído quase se extinguindo. Quase ninguém mais injeta, logo, sobraram seringas. O quase total abandono  da injeção de cocaína,  não foi devido a nenhuma ação patriótica coletiva. Foi pelo pior dos motivos,  e mesmo assim, também passou despercebido pelo  Governo desatento. Surgia o CRACK nas grandes cidades e rapidamente difundiu-se por todo o país.

A rápida disseminação do CRACK atingiu todos os segmentos da sociedade corroendo-a. Nas cidades  espaços públicos conhecidos como “cracolândia” foram tomados por usuários – traficantes, tornando-se parte de uma triste paisagem.

Tornam-se problema sem solução. Os  usuários-traficantes estão matando, roubando, destruindo famílias inteiras e morrendo aos montes por causa da droga.  As Polícias, recolhendo o que resta dessas pessoas, não encontram quem os receba. Aqueles que cometerem crimes sob efeito, ou movidos pela necessidade da droga, não ficam presos,  são julgados “doentes” e encaminhados para tratamento. Não existem clínicas nem hospitais especializados disponíveis e ao  alcance de todos.

A iniciativa do Governo Federal, a quem compete o gerenciamento das ações para o país,  age com a rapidez de um paquiderme doente,  não se levanta, não age. Recentemente iniciou  uma campanha tímida,  com divulgação pífia e provavelmente muito cara. Enquanto isso,  segundo a ONU, o Brasil é país  que mais trafica drogas para a Europa.  A cocaína nem é produzida no país, é importada.

E nas cidades,  a criminalidade e a violência atingem índices jamais vistos antes, nesse país.

A mobilização da sociedade ocorre por iniciativas locais, em sua maioria, por entes não estatais. A preocupação maior dos envolvidos nos debates, ligados ou não ao Governo, é com a recuperação. Em fóruns e debates, a ênfase maior é  para a necessidade de ajuda financeira, recursos, verbas e mais verbas de governos, para a reabilitação. Talvez, porque o dinheiro é a solução para quase todos os problemas, incluído, aqueles de algumas entidades beneficentes.  Sim, porque MUITO antes da reabilitação,  há que trabalhar na PREVENÇÃO.

Nos quesitos letalidade toxidade o CRACK foi o líder absoluto, porém, por pouco tempo.

Recentemente surgiu o OXI, muito mais letal e tóxico, como a mais devastadora das drogas. O consumo foi registrado por pesquisadores em 2003, nas regiões norte e nordeste. Nos últimos sete anos espalhou-se pelo país. Somente neste ano o OXI  foi detectado na Região Sul, nos Estados do  Paraná e Rio Grande do Sul.  O mais assustador é que a droga retroalimentará o problema crônico de saúde pública, com a agravante do ineficaz programa de Governo, de combate às drogas e mais, na carência de dados sobre a sua disseminação no Brasil.

Os usuários estão em todas as classes sociais e a maioria deles, será induzida ao OXI devido à má fé do traficante. Aquele usuário da inofensiva (ironia) maconha ao comprar seus baseados em pontos tradicionais de venda, receberá aquele batizado com duas ou três pedras de OXI – mais barato que o CRACK – e que tem até nome: MESCLADO. Daí, quando já viciado, será enganado novamente, pois, ao comprar CRACK receberá o OXI –  a versão pirata do CRACK, que por ser mais barato dominará facilmente o mercado.

As Polícias têm dificuldade em identificar/diferenciar o OXI do CRACK. Visualmente são drogas idênticas. As análises químicas indicam a presença de cocaína em ambos.  O CRACK  tem fumaça mais branca e deixa cinza como resíduo. O OXI libera uma substância oleosa. Fora isso, ao ser queimado o OXI libera um tipo de óleo e tem cheiro de querosene ou gasolina.

Para o usuário de OXI foi atribuída uma expectativa de vida – sem estudos científicos – de no máximo cinco anos. A morte seria causada, entre outras, por insuficiências.

Finalmente, o que restar da devastação causada pelo OXI será consumido pelo KOAKSILkrokodil (crocodilo)

No local da injeção, que pode estar em qualquer lugar desde os pés até a testa, a pele do viciado se torna esverdeada e escamosa, como a de um crocodilo, depois os vasos sanguíneos estouram e os tecidos em volta morrem. Gangrena e amputações é um resultado comum, enquanto o tecido ósseo poroso, especialmente no maxilar inferior, muitas vezes, começa a se dissolver, devoradas pela acidez da droga.

KOAKSIL é um fármaco FÁRMACO em comprimidos cuja base é o componente ativo DESOMORPHINE, comprados em farmácias.  Os viciados misturam ingredientes incluindo gasolina, thinner, ácido clorídrico, iodo e fósforo vermelho que raspam de palitos de caixas de fósforos.

Em 2010 na Rússia, de acordo com várias estimativas oficiais, centenas de milhares de jovens injetaram a substância resultante em suas veias, até agora o único país no mundo a ver a droga se transformar em uma epidemia.  RELATÓRIO DA POLÍCIA

ADVERTÊNCIAEstes vídeos contem conteúdo impróprio para alguns usuários. CENAS FORTES –  KOAKSIL 1  e KOAKSIL 2

 

 

 


Categorias: Geral

Comments

Feed
Trackback URL

  • Jones Day Ribeiro pinto

    No meu ponto de vista, as forças policiais estão em combate constante, contra a guerra as drogas, esta batalha inicia no de uma forma preventiva dentro dos colegios, onde uma equipe de honrosos policiais militares, tem a missão de instruir e previnir nossas crianças, nossos filhos sobre este assunto delicado, as drogas ilicitas. No patrulhamento ordinario continuamos a batalha, nas abordagens e prisões de pessoas envolvidas no consumo e trafico de drogas, ocorrencias diariamente atendidas por equipes de valorosos profissionais que tem um comprometimento em servir e proteger, agora olhamos as noticiais e as ideias de pessoas, quais fazem apologia ao crime, ou seja marcha da maconha, acredito que se nao for tomado medidas imediatas, certamente muito em breve, poderemos ter outras noticiais, como marcha do crack, marcha da cocaina, marcha do oxi, e muito mais, que País e este, uma força combate, outra parcela da sociedade pede a liberação camuflada das drogas atraves de passeatas, é indignante esta ideia, nos continuaremos este combate sempre, vamos salvar nossos filhos, nossa sociedade, teremos um futuro melhor.

    2ºSgt PM JONES DAY
    2ªCia/8ºBPM – Joinville-SC

  • Realmente muito triste o segundo vídeo aonde resta somente o osso da perna do usuário (bem no final).


  • André Willemann

    Realmente as imagens são fortes, mas muito obrigado pelo alerta Dr. Edivar, tomara que essa desgraça nunca chegue ao Brasil, e que la mesmo seja exterminada


  • Rafael

    O vídeo teve ser adotado pelo PROERD, impressionante…Parabéns

Deixe seu comentário

Atenção: Seu comentário será publicado assim que aprovado.