O CRIME DE FURTO E DE ROUBO EM RESIDÊNCIAS E ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS – Algumas breves considerações

por Edivar Bedin em 23/08/2010
4 comentáriosComments

Em meados de Maio de 2007 quando assumi o Comando do 8° Batalhão de Polícia Militar, procurei identificar todas as peculiaridades da cidade, em especial a região que compunha a jurisdição do Batalhão.

Havia recursos, porém eram mal empregados. As viaturas estavam sucateadas por falta de manutenção, o efetivo estava desmotivado e não havia Planos de ações.
O levantamento inicial demonstrou que o crime de roubo era o mais freqüente. Havia quase setenta por mês. O que mais incomodava o cidadão era o crime de roubo em residência e em estabelecimentos comerciais.
Estabeleci então, a prioridade do meu Comando: o combate ao crime de roubo.
Foram feitos levantamentos de todas as variantes que envolvem este tipo de crime, estabelecendo critérios e, finalmente, identificando (por fotos) todos os ladrões em nossa área. O resultado desse estudo e planejamento culminou com a criação de um atendimento às vítimas de roubo – só existe na área do 8º. Batalhão de Polícia Militar – o PÓS-CRIME.
Desses (quase) quatro anos à frente do PÓS-CRIME estudando as muitas variantes que envolvem o crime de roubo, extraio e repasso algumas observações e sugestões, que espero sejam úteis:

  1. Em todo crime há que existir: Agente, motivação, vítima, planejamento, oportunidade e local apropriado.
  2. Os ladrões escolhem e racionam em torno de oportunidades, motivação, alvo (fácil) e ambiente adequado.
  3. A escolha é também uma questão de cálculo. O lucro aparente justifica o risco a correr?
    Além disso, outros fatores influenciam e agem como catalisadores para o cometimento do crime, por exemplo: Estar sob efeito de drogas, álcool, em crise de abstinência de drogas e outros.
  4. O ambiente físico interage e afeta o comportamento do delinqüente.
  5. Para cometer o crime o ladrão precisa se sentir seguro.
  6. O ladrão, uma vez motivado, ao encontrar o alvo levará em conta, no ambiente, uma serie de fatores: – A facilidade de acesso, pouca iluminação e o paisagismo que oculte a sua presença.
  7. Os ladrões dão preferência por locais com pouco fluxo de pessoas, é importante que se sintam seguros.
  8. Uma casa oculta por muros altos faz com que o ladrão se sinta mais seguro lá dentro.
  9. Tem preferência por locais próximos a terrenos baldios, é mais fácil de esconder. Tem pouca luminosidade.
  10. Os crimes ocorrem em determinada área e varia à hora do dia e o dia da semana. Reflete-se nas oportunidades que o ladrão encontra.
  11. Um roubo bem sucedido encoraja o ladrão para o cometimento de outros roubos.
  12. Os ladrões não agem em locais muito distantes de onde moram. Leva em conta e considera a exposição, um fator de risco de maior potencial, após o crime.
  13. A maioria dos produtos dos roubos tem comprador certo. Especialmente, os pequenos e valiosos objetos: notebooks, telefones celulares, smartphones, valem muito e são fáceis de transportar e tem grande aceitação por receptadores.
    SUGESTÕES
    Residências:

  1. Dê preferência por grades. O ideal, grade de ferro com 4m altura e com cerca de espinhos (Agave, Três Maria, coroa-de-cristo etc.) com altura de 1,70 junto à cerca.
  2. Janelas, tipo veneziana com grade.
  3. Pátio, boa iluminação; cães de grande porte e alarme.
  4. Não construir cercas ou muros muito perto de lixeiras, arvore ou postes, facilitam a escalada. Os muros devem estar afastados das paredes da casa.
Estabelecimentos Comerciais:

  1. Os estabelecimentos comerciais de preferência do ladrão, são aqueles com grande número de mercadorias, cartazes de propaganda, carrinhos de supermercado na porta, ou perto dela (dificultam a visão).
  2. Gôndolas muito próximas e altas demais.
  3. Toldo frontal muito baixo obstruindo a vista.
  4. Ausência de porta pantográfica e grades nas janelas.
  5. Normalmente o caixa é o proprietário (a) está próximo da porta de entrada/saída. Além disso, normalmente, o caixa fica de costas para a rua. Vulnerável.
  6. Para muitos proprietários de estabelecimentos comerciais foi recomendado mudanças de layout e atitude. Alguns daqueles que não deram atenção foram vítimas mais de uma vez.
  7. Alguns têm as câmaras instaladas sobre as gôndolas para evitar furtos, nenhuma no caixa.
  8. As câmaras do caixa têm que estar na altura dos olhos. Mais altas, filmam a parte superior da cabeça ou o boné, quando o ladrão estiver usando um.
RECOMENDAÇÕES:

  1. Ligue imediatamente após o roubo para o 190 – Muitos disseram que não sabiam o que fazer depois do crime. E só ligaram muito tempo depois para a PM. Todo crime deve ser sempre comunicado a policia.
  2. A comunicação a PM (190) é importante para o planejamento das ações que se desenvolverão após, para evitar que outros roubos ocorram e, em muitos casos, recuperar os bens e prender os ladrões.
  3. Para reduzir o crime devem-se reduzir as oportunidades, prevenindo-se. PREVINA-SE.
  4. As vítimas sentem vontade de adquirir armas, contratar seguranças e montar esquemas caros e mirabolantes, não precisa disso. Isso só vai aumentar o prejuízo. É muito mais importante avaliar se o delito aconteceu por falhas, reconhecê-las e procurar saná-las, mudando layouts e atitudes.
  5. A maioria dos ladrões não usa arma.
  6. O delito ocorre porque a vítima não tomou precauções antes, e se houver reincidência, a vítima também não tomou precauções depois dele.


Categorias: Geral, PÓS-CRIME

Comments

Feed
Trackback URL

Deixe seu comentário

Atenção: Seu comentário será publicado assim que aprovado.